Isabel Portela Fernandes de Souza, jornalista, professora e diretora do Instituto IRIS

Iniciei minha vida escolar na Experimental, aproximadamente em 1968. Lembro-me perfeitamente do acolhimento recebido e da alegria em estar naquela escola onde todos eram tratados respeitando suas características individuais, potencializando os pontos positivos e trabalhando com muita sabedoria os pontos das crianças que precisam de mais atenção e cuidados.

Faço parte de uma família de seis filhos, onde cinco foram alunos da Experimental estudando durante todo o ensino básico e iniciando o ensino fundamental. Fizemos parte do crescimento da escola onde a cada ano mais uma série era criada com a turma de alunos que lá estavam.

Meu vínculo com a Experimental nunca se rompeu, foram criados laços de afetividade e de referência em educação que até hoje me remeto às lembranças do aprendizado da época para trabalhar com as crianças e jovens que atendemos nos projetos sociais desenvolvidos pelo IRIS – Instituto de Responsabilidade e Investimento Social. Aprendi na Escola Experimental que é através da educação que conseguiremos a transformação social tão sonhada e desejada para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária e que para isso é necessária a construção de uma escola prazerosa para todas as crianças e adolescentes.

É uma escola que sempre investiu na arte com a proposta de agregar valores humanos e éticos, sempre receptiva a todas as crianças, estabelecendo uma parceria muito consistente e verdadeira com seus professores, alunos e principalmente pais. A relação da escola com a educação sempre foi muito sincera para promover o desenvolvimento dos seus alunos. Temas transversais como pluralidade cultural, saúde, meio ambiente, orientação sexual, ética, educação e trabalho que só foram introduzidos na educação formal a partir de 1998 com os “Novos Parâmentros Curriculares Nacionais”, na época do então ministro Paulo Renato, já eram trabalhados na Escola Experimental desde a sua fundação, e são até hoje implementados com muita honestidade com o objetivo único de contribuir com o desenvolvimento social e pessoal da criança e do adolescente.